Loading...

Combater o desperdício alimentar em todas as frentes

Jerónimo Martins

Projeto

Estimando-se que mais de 300 mil pessoas passem fome em Portugal, este tema faz parte da agenda de preocupações do Grupo há vários anos, através da forma como conduz os seus negócios para a eficiência da gestão das matérias-primas, ao longo da cadeia de valor das mesmas. O objectivo é claro: prevenir a produção de resíduos numa abordagem integrada nos cinco pilares da sua estratégia de Responsabilidade Corporativa e de forma colaborativa com várias partes interessadas:

• Promover a Saúde pela Alimentação: Jerónimo Martins desenvolveu um processo de incorporação de vegetais não-padronizados nas receitas das sopas dos restaurantes Pingo Doce e nas de take-away em Portugal e na Polónia. Sendo opções mais saudáveis para os consumidores com pouco tempo para confecionarem as suas refeições, a 4ª gama das Marcas Pingo Doce e Recheio (vegetais lavados e cortados para saladas e sopas) integra também esta matéria-prima.

• Respeitar o Ambiente: a integração de produtos que anteriormente eram considerados desperdício, permite reduzir os resíduos gerados na fase de produção em cerca de 15%.

• Comprar com Responsabilidade: através da aquisição de produtos alimentares não-calibrados, que anteriormente tinham pouco ou nenhum valor económico para produtores, e da sua integração nas unidades de transformação do Grupo que produzem sopas para os restaurantes Pingo Doce e para Take Away, foi possível reduzir o custo desses ingredientes e aumentar o volume de negócio dos fornecedores;

• Apoiar as Comunidades Envolventes: doando alimentos que cumprem todos os requisitos de segurança alimentar a instituições sociais que actuam junto de centenas de pessoas necessitadas, o Grupo contribui para o combate à fome e malnutrição e o desperdício;

• Ser um Empregador de Referência: Jerónimo Martins forma os seus colaboradores para que os mesmos procedam à correcta identificação, selecção e separação dos alimentos seguros para venda e doação.

Para além disso, o Grupo adoptou a resolução do The Consumer Goods Forum com vista à redução do desperdício alimentar para metade até 2025, tendo 2016 como ano de referência. Com o intuito de cumprir este objectivo, está em curso a implementação de um plano de acção em que se incluem, por exemplo, o aumento da eficiência das operações e a manutenção dos donativos de alimentos a instituições de solidariedade.

Impactes quantitativos e qualitativos

Em 2018, as atividades do Grupo geraram 15,9 kg de desperdício alimentar por cada tonelada de alimentos vendidos, um aumento de cerca de 10% face a 2017 e de cerca de 20% face a 2016 (ano de referência), justificado em grande parte pelo aumento da quebra nas categorias de Fruta & Legumes e Padaria.

Os alimentos não-calibrados são incorporados nas sopas em Portugal e na Polónia ou em produtos de 4.ª gama (vegetais cortados e lavados prontos a utilizar), sendo também vendidos a um preço reduzido nas lojas Recheio. No total, em 2018, assegurámos a introdução no mercado de mais de 13.600 toneladas destes produtos, também conhecidos como fruta e legumes “feios”, um aumento de 2,8% face a 2017.

Mais de 11.500 toneladas de alimentos foram doadas a um conjunto alargado de ONG’s, que fizeram chegar os produtos a instituições que apoiam centenas de pessoas provenientes de comunidades muito vulneráveis.

Adicionalmente, as nossas operações da Jerónimo Martins Agro-Alimentar recorrem à aquisição de subprodutos da indústria alimentar e de legumes não calibrados para incorporar na alimentação de gado. Em 2018, foram incorporadas mais de 3.000 toneladas destas matérias no seu regime alimentar.

Como fazemos a diferença
2019-06-26T10:10:57+01:00